voltar


8.2. Resíduos sólidos gerados em portos, aeroportos e indústrias

Não são só os hospitais e casas de saúde que merecem cuidados sanitários especiais na manipulação do lixo gerado. Unidades portuárias, aeroportos e indústrias também merecem bastante atenção.

O lixo gerado em terminais portuários e aeroportos pode ser muito perigoso.

Nestes lugares, além de pessoas e mercadorias, podem também "desembarcar" doenças "importadas" de outros países.

Há órgãos especializados do Ministério da Saúde que atuam através de fiscalização rigorosa O sistema deve ser complementado por uma atuação eficiente da entidade que cuida dos serviços de limpeza urbana que, dependendo da natureza de utilização destas unidades, pode implantar procedimentos operacionais similares àqueles apresentados no primeiro ítem deste capítulo.

Quanto ao lixo industrial, existe uma enorme diversidade de tipos, cada um com suas características particulares. Por isso, fica impossível indicar uma forma universal de acondicionamento que sirva para qualquer resíduo. É necessário conhecer bem o material para que se possa definir o recipiente que deverá contê-lo, bem como os procedimentos para seu correto manuseio, transporte e disposição final.

Em quase todos os Estados do Brasil existem órgãos estaduais de controle ambiental, integrantes do Sistema Nacional de Meio Ambiente (SISNAMA), vinculado à Secretaria Especial de Meio Ambiente da Presidência da República (SEMAM). Caso o seu Município tenha algum problema relativo a lixo industrial, é indispensável consultar os especialistas.

Finalmente, resta-nos lembrar que os resíduos industriais, em princípio, não devem ser removidos e destinados obrigatoriamente pelo serviço de limpeza urbana, exceto nos casos de pequenos geradores de resíduos não perigosos, com características similares ao tipo domiciliar. O Código de Posturas ou outro instrumento legal deverá definir a questão.