<<voltar


6.1. Aterro controlado e aterro sanitário


O aterro controlado e o sanitário são métodos de disposição final de lixo no solo que podem ser amplamente empregados. A técnica consiste na utilização de princípios de engenharia para:

Mesmo as instalações de reciclagem, incineração e compostagem precisam de um local onde sejam descartados, de forma apropriada, as sobras e os refugos provenientes do processamento do lixo. Neste caso, o aterro pode servir também como alternativa em situações de emergência motivadas por interrupções eventuais da instalação industrial.

Os maiores problemas para a implantação de aterros são:

a possibilidade de se poluir o solo e cursos de água superficiais ou subterrâneos;

a necessidade de supervisão constante de modo a garantir a manutenção das mínimas condições ambientais e de salubridade;

a geração de gases a partir da decomposição do lixo aterrado;

a necessidade de terrenos disponíveis para a instalação do aterro próximos aos locais de produção do lixo, já que o custo de transporte é muito elevado na limpeza urbana em virtude do baixo peso específico do lixo;

a resistência dos moradores nas cercanias do aterro que, muitas vezes, por não serem ouvidos e devidamente esclarecidos quanto ao problema, acabam por criar impasses desgastantes para a Administração Municipal.