Curiosidades

  • Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: Sacolas plsticas e sustentabilidade
País: Brasil
Fonte: http://www.setorreciclagem.com.br/modules.php?name=News&file=article&sid=649
Data: 5/2008
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
Curiosidade (texto):
imperativo investir mais em coleta seletiva
por Francisco de Assis Esmeraldo


Impermeabilidade, praticidade, higiene e baixo custo fazem das sacolinhas plsticas a forma ideal de transportar compras. Segundo o Ibope, 71% dos entrevistados so amplamente favorveis embalagem. O mesmo levantamento constatou 100% de reutilizao das sacolas plsticas no descarte dos resduos domsticos, o que fez o brasileiro praticamente dispensar os sacos de lixo.

O saco plstico, portanto, excelente. Todavia, todos devem atentar para os danos provocados pelo descarte incorreto e pelo desperdcio dessa embalagem. Pensando nisso, os fabricantes nacionais, numa iniciativa indita, lanaram o Programa de Qualidade e Consumo Responsvel de Sacolas Plsticas.

A Plastivida Instituto Scio-Ambiental dos Plsticos, o Instituto Nacional do Plstico (INP) e a Associao Brasileira da Indstria de Embalagens Plsticas Flexveis (Abief) estabeleceram, por meio da auto-regulamentada Norma Tcnica ABNT 14.937, um novo padro de produo que tornar a embalagem mais resistente e dispensar o uso em duplicidade. Complementarmente, juntaram-se Associao Brasileira de Supermercados (Abras) e Associao Paulista de Supermercados (Apas) para firmar, em dezembro passado, o termo de parceria entre indstria do plstico e supermercados, que vai instituir a nova sacolinha no varejo.

Com isso, espera-se uma reduo de 30% na produo e distribuio da embalagem, uma preciosa contribuio da indstria e do varejo para a sustentabilidade, que pode ser sintetizada no trip reduo, reutilizao e reciclagem. Com o reso j universalizado no pas, constata-se que o reaproveitamento da matria-prima atualmente o nosso maior desafio. H possibilidade de se reaproveitar 100% do plstico que hoje vai parar no lixo, mas a ociosidade nas nossas recicladoras da ordem de 40%! Investir na educao e em coleta seletiva torna-se imperativo.

A soluo para o problema, portanto, requer o envolvimento de toda a sociedade. essencial que a populao descarte corretamente seus resduos e que o poder pblico e seus parceiros criem os mecanismos necessrios para fazer com que cheguem ao destino adequado, reduzindo o desperdcio de uma matria-prima cuja demanda crescente no pas e no mundo.

Francisco de Assis Esmeraldo engenheiro qumico, presidente da Plastivida e membro dos conselhos ambientais da Fiesp, Firjan e Fiergs.

fonte: www.olhao.com.br