• Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: A fora poluidora do leo de cozinha. O que fazer?
País: Brasil
Fonte: reciclaveis.com.br
Data: 2/2012
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
URL: http://www.reciclaveis.com.br/noticias/00810/0081029oleo.htm
Curiosidade (texto):
Toda vez que um litro de leo de cozinha despejado pia abaixo contamina o volume de gua suficiente para 14 anos de consumo de um ser humano. O efeito mesmo devastador: afeta a qualidade de um milho de litros de gua. Os nmeros so consenso entre pesquisadores, organizaes no-governamentais (ONGs) e governo e assustam, principalmente quando se pensa em uma sociedade como a pernambucana, na qual a coleta seletiva do leo de cozinha ainda pouco difundida e, menos ainda, praticada. Tanto que o produto representa 0,001% do total de material reciclvel coletado mensalmente pela Empresa de Manuteno e Limpeza Urbana (Emlurb) - o papel o campeo, equivalendo a 71%. Aparentemente inofensiva, a prtica de jogar o leo na pia danosa tanto para o meio ambiente quanto para a infra-estrutura de escoamento de uma cidade. O produto capaz de formar uma camada na superfcie das guas, impedindo a oxigenao nela. "A flora e a fauna que se desenvolvem dentro das guas tendem, ento, a morrer", alerta o gerente de coleta seletiva da Emlurb, Andr Penna. Alm disso, pode impermeabilizar solos, dificultando a penetrao da gua das chuvas e provocando alagamentos. Os danos comeam logo aps o descarte. O leo pode formar uma espcie de crosta dentro de canos e galerias pluviais durante a passagem. Assim, essas estruturas podem ficar entupidas ou mesmo estourar. "Sabe aquela sujeira preta freqentemente encontrada nas proximidades de restaurantes? Aquilo leo despejado em pia", ilustra Penna. Para evitar tantos prejuzos por causa de um descarte inadequado de material, o coordenador da Associao Meio Ambiente, Preservar e Educar (Amape), Srgio Nascimento, d a dica. A pessoa deve deixar o leo ps-consumo esfriar por alguns minutos e, em seguida, despej-lo com a ajuda de um coador em uma garrafa PET ou em uma bombona. "Coar importante para diminuir a quantidade de resduos orgnicos no leo. Os restos de comida diminuem a qualidade do leo e as chances de ele ser reutilizado", justificou. O recipiente pode ser ento levado para um ponto de coleta. Localizada no bairro de Casa Amarela, na Zona Norte do Recife, a Amepe recebe uma quantidade varivel de leo de cozinha por semana. "s vezes, conseguimos coletar 20 litros, mas tem semana em que chegam s dois", lamentou Srgio Nascimento. Segundo estimativa do coordenador, em mdia 10 pessoas vo ao local semanalmente para entregar leo de cozinha - normalmente so mulheres engajadas em causas ambientais e que residem nas proximidades da Amepe. O leo coletado despejado em um dos dois tonis da ONG, cada um com capacidade para armazenar 100 litros, e depois entregue a uma gestora de resduos, que analisa a qualidade do produto e repassa o material para indstrias ou produtores individuais. A Amape recebe material reciclvel de segunda a sexta-feira, das 7h s 17h, e aos sbados, das 7h s 12h. Uma alternativa para os mais ocupados pedir que os prprios funcionrios de pontos de coleta peguem o leo armazenado na casa do consumidor, prtica que nem sempre feita pelas entidades. A jornalista Janayde Gonalves, 24 anos, localizou recentemente uma ONG desse tipo, a Bumerangue Reciclagem, localizada em Jardim Prazeres, em Jaboato dos Guararapes, na Regio Metropolitana do Recife. Janayde morava em Fortaleza, no Estado do Cear, mas se mudou para o Recife em janeiro deste ano, para cursar mestrado. Em Fortaleza, ela fazia a coleta seletiva de leo de cozinha, mas na nova cidade ainda no havia encontrado local aonde levar o material armazenado. "Por falta de tempo e por usar pouco o leo em casa, acabei deixando o tempo passar. Guardava em garrafinhas para no despejar na pia, mas acabava jogando no lixo", afirmou. A Bumerangue Reciclagem pede que pelo menos um litro do leo seja armazenado antes de entregue. Janayde ainda quer multiplicar a quantidade de pessoas ecologicamente responsveis na cidade. No condomnio onde mora, no bairro da Jaqueira, na Zona Norte do Recife, recentemente comeou a ser feita coleta seletiva de materiais reutilizveis, mas o leo de cozinha no foi includo na lista. "Na prxima reunio dos condminos, vou propor que faamos tambm esse tipo de separao", prometeu. Fonte: Tatiana Ferraz (JC OnLine)