Curiosidades

  • Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: Pode o lixo virar luxo?
País: Brasil
Fonte: http://www.meiofiltrante.com.br/materias.asp?action=detalhe&id=545
Data: 11/2009
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
Curiosidade (texto):
O descarte de materiais poluentes tem encabeado a lista dos temas mais polmicos do mundo moderno. Saber o que fazer com o lixo, minimizando seus efeitos sobre a natureza, a sade das pessoas, e a sobrevivncia do planeta, e tudo isso com o mnimo de investimento, um dos maiores desafios deste sculo. Se olharmos apenas para frota nacional de veculos, estimada em 30 milhes, possvel imaginar as conseqncias da gerao estimada de 50 milhes de unidades/ano de filtros de leo usados (incluem-se aqui filtros de mquinas, implementos agrcolas, motores estacionrios, mquinas e equipamentos de terraplenagem e construo civil, e excluem-se os filtros de ar e de combustveis). Segundo David Andrade, presidente da Supply Service (pioneira no tratamento de resduos oleosos, que h dezoito anos atua com reciclabilidade total em 13 Estados da Unio, tem fbricas em So Paulo, Paran, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro em fase de construo, e no Rio Grande do Sul, aguardando licena ambiental), a indstria tem bom nvel de conscientizao quanto destinao correta de resduos, mas no varejo ela ainda pequena. Ele atribui esse fato parte deficincia na fiscalizao e parte falta de informao, e destaca que o volume de descarte de filtros de leo vem crescendo consideravelmente por conta dos licenciamentos de novos postos de combustveis. De acordo com Andrade, so aproximadamente 37 mil postos de servio e 155 mil as oficinas mecnicas cadastradas no Pas, entre independentes e as pertencentes as concessionrias de veculos. A questo que se apresenta que mesmo depois de esgotados, os filtros ainda retm cerca de 250 ml de leo, assim como as embalagens de lubrificantes, e esse um material que se no for recolhido e destinado corretamente, gera gases prejudiciais sade e ao ambiente, afirma o executivo. Em 2008, a Supply processou 1.400 toneladas de material, e a previso para 2009 bate na casa de 4.000 toneladas. Embora grandes, esses nmeros so insignificantes se considerarmos, por exemplo, que no Estado de So Paulo, onde a fiscalizao est entre as mais rigorosas, apenas 10% dos postos de combustveis praticam o descarte correto dos filtros, um trabalho que, aponta Andrade, mal comeou nas oficinas das concessionrias de veculos. Isso mostra o quanto de leo est indo para o solo e os rios, sem que haja conscincia ambiental, analisa. Segundo Andrade, no que toca aos fabricantes de filtros industriais de So Paulo, a maioria das empresas so conhecedoras da legislao e est arcando com os custos de destinao. Na escala da Associao Brasileira de Normas Tcnicas (ABNT), o leo lubrificante usado se classifica na categoria 1, a dos resduos perigosos por sua toxicidade. Pode ser diferente se o descarte for feito de modo correto. E disso que trata a Resoluo 362/05 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), que em seu artigo 1 determina que todo leo lubrificante usado ou contaminado dever ser recolhido, coletado e ter destinao final, de modo que no afete negativamente o meio ambiente e propicie a mxima recuperao dos constituintes nele contidos... O princpio do poluidor pagador que norteia a legislao ambiental vigente, e que responsabiliza as empresas pelos custos de destinao de resduos desde o seu nascimento at a morte, tem comprometido a adeso imediata das empresas em realizar o descarte em conformidade com a legislao vigente. Uma sada encontrada por alguns fabricantes a conscientizao de seus clientes, por meio de cartilhas que orientam como descartar filtros usados e outros fluidos gerados nas oficinas. A Supply Service escolheu os postos de combustveis como alvo de sua campanha e distribui aos clientes um livreto sobre coleta seletiva de filtros usados, embalagens de leo usadas, estopas, panos e EPIs (equipamentos de segurana), onde ensina sobre a utilizao dos kits de coleta que oferece para que o material seja corretamente separado para a destinao. Com matriz na Alemanha e filiais em mais de 40 pases, a Hydac Tecnologia, cuja linha de produtos engloba filtros e sistemas de filtragem, outra das que investem na conscientizao. Desenvolveu um processo de destinao dos elementos filtrantes dos filtros usados e oferece aos clientes como valor agregado, orientando sobre armazenagem, transporte e reciclagem do elemento filtrante em conformidade com a legislao. Lixo lucro para as oficinas independentes Dedicado conscientizao de seus associados sobre as questes ambientais h dez anos a Resoluo do Conama existe h apenas quatro anos - o Sindicato da Indstria de Reparao de Veculos e Acessrios do Estado de So Paulo (Sindirepa), dispara boletins mensais e newsletters semanais para seus 14 mil associados, oficinas independentes, dos quais 6 mil se localizam na capital paulista. H ainda um corpo a corpo que consiste em visitas constantes s oficinas, um trabalho de formiguinha realizado por Antonio Gaspar Oliveira, diretor tcnico ambiental do Sindirepa: Temos uma adeso total lei de destinao de resduos, exulta Gaspar. Ele coordenador do Grupo Setorial 6 do Departamento de Meio Ambiente da Fiesp, e representa o Sindirepa na equipe tcnica do projeto Reciclagem de Embalagens Plsticas Usadas Contendo leo Lubrificante, elaborado pela Cmara Ambiental da Indstria Paulista, que contou com a participao de outros dez sindicatos. Como Gaspar conseguiu a adeso das oficinas? A adeso total pelo fator ganho, o leo receita, diz Gaspar. O leo lubrificante usado tem uma destinao nica, o rerrefino, e vendido pelas oficinas a R$ 50 por tambor, explica Gaspar. Em mdia, cada oficina recolhe algo entre 100 e 200 litros de leo usado por ms, segundo o Sindirepa. O projeto prev ainda destinao de: embalagens plsticas de leo, com a contratao de empresas coletoras licenciadas pelos rgos pblicos - seu reaproveitamento envolve processos como moagem e lavagem das peas, as quais servem para a produo de dormentes usados nos trilhos de trens, tapetes, revestimento interno de veculos e at novas embalagens de produtos; estopa e retalhos muito usados na limpeza de graxa nas mos e outras superfcies, esses materiais representam perigo se descartados em lixeira comum, pois despejados no aterro sanitrio, soltam a graxa e o leo acumulado que contaminam o solo. O caminho recomendado o uso de toalhas retornveis, que tm custo similar com a vantagem de esgotamento mais fcil do resduo oleoso para o rerrefino; lavagem de peas e acessrios a maioria dos mecnicos usa gasolina, querosene e outros solventes para limpar peas e acessrios, descartando os produtos na rede de gua. A recomendao o uso de produtos biodegradveis; filtro de leo recomendada a contratao de empresa especializada na coleta. O ideal deixar o leo escorrer antes de vender o filtro, o que diminui custos e traz a vantagem econmica da comercializao do lquido se a oficina tiver caixa de reteno de areia e leo; lavagem da oficina sai na frente quem tiver piso impermeabilizante, pois esse tipo de superfcie no deixa que o leo seja absorvido pelo solo; recomenda-se a construo de canaletas para escoamento dos lquidos para comercializao futura; Mas Antonio Gaspar diz que ainda h muito por fazer: O trabalho de conscientizao jamais termina, sabemos que existe quem desvie o leo usado do rerrefino oferecendo valores acima da mdia do mercado para obt-lo e us-lo em fundies clandestinas, olarias, etc, onde queimado e lanado na atmosfera. Cinco litros de leo usado nessas condies resulta na intoxicao de um volume de ar correspondente ao que uma pessoa respira em trs anos, destaca. Em contrapartida, j so contadas iniciativas como a que acontece no municpio de Trs Lagoas, no Mato Grosso do Sul, onde 100% dos postos de combustveis e oficinas de concessionrias de veculos j do destinao adequada aos filtros, e a comunidade e o poder pblico trabalham juntos para que as 400 oficinas mecnicas locais se adequem.