Curiosidades

  • Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: O lixo extraordinrio de Hoboken
País: USA
Fonte: Mulher 7X7
Data: 12/2011
Enviado por: Ana Buarque
URL: http://colunas.epoca.globo.com/mulher7por7/2011/10/15/o-lixo-extraordinario-de-hoboken-nova-york/
Curiosidade (texto):
Hoje, no Mulheres pelo Mundo, a jornalista e escritora Martha M. Batalha fala do lixo de seus vizinhos novaiorquinos. Como 90% das pessoas que se consideram novaiorquinas, eu no moro em Manhattan. Funciona assim: com a chegada do primeiro filho, preciso decidir entre pintar o closet de rosa para abrigar a nenm ou se mudar para um lugar maior. Acontece que Lugar maior e Manhattan s coexistem na mesma frase na cartilha dos milionrios. Eu moro em Hoboken, uma cidade do outro lado do Rio Hudson que tem mais ou menos o tamanho (e a renda per capita) de Ipanema. Hoboken ainda muito rica. Uma riqueza que est nas Ferraris que volta e meia passeiam pelas ruas, nos aneis de brilhante das americanas que pegam o onibus comigo e, principalmente, no lixo da cidade. Por ter os olhos nascidos e criados em outra cultura, e por ser casada com um cubano/portorriquenho cuja tia-avo ainda mora na ilha e faz pudim em uma lata de tomate cortada ao meio, eu no consigo passar pelas ruas de Hoboken sem me impressionar com o lixo. So computadores, TVs, sofs, colches, cadeiras (vejam as fotos no final do post). O americano joga estas coisas na rua com a facilidade que um brasileiro joga papel de bala. No Brasil, eu tirava da panela as sobras de comida e colocava em um saco plstico antes de jogar fora porque sabia que alguem poderia revirar o lixo e fazer daquilo uma refeio. Aqui, eu vejo a panela no lixo. Um tempo atrs decidimos trocar nossa TV e, em vez de jog-la no lixo como os nossos vizinhos, a levamos at o Exrcito da Salvao, que aceita doaes e as revende a preos simblicos. Quando chegamos, havia um cartaz na porta: - A partir de agora s aceitamos computadores e TVs de tela plana. Quando os pobres de um lugar s aceitam doaes de TVs de tela plana, quando os aneis de brilhante de quem anda de nibus so verdadeiros e quando a gente tem medo de manobrar o carro porque pode tocar uma Ferrari porque a palavra remediado no faz parte do cotidiano do lugar. No acho que os americanos sejam piores do que ns porque jogam tudo fora. S acho que nasceram em outro mundo. O mundo fantstico dos recursos naturais eternos e dos cartes de crdito infinitos. Ns, brasileiros, tambm cometemos nossos pecados de consumo. Mas, alm de consumirmos menos, dificil ver o que se joga fora, porque existe uma imensa rede de empregadas domsticas, orfanatos, ONGs e asilos, que absorvem o suprfluo descartado. Porque era dificil de acreditar em tantas coisas jogadas fora, eu passei a fotografar. E divido as fotos aqui, para que vocs tambem achem dificil de acreditar e por isso tenham que ver.
Ilustrao: