• Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: Plstico biodegradvel, verde e oxibiodegradvel: qual a diferena?
País: Brasil
Fonte: http://viajeaqui.abril.com.br/materias/plastico-biodegradavel-verde-e-oxibiodegradavel-qual-a-diferenca
Data: 8/2012
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
URL: http://viajeaqui.abril.com.br/materias/plastico-biodegradavel-verde-e-oxibiodegradavel-qual-a-diferenca
Curiosidade (texto):
Em substituio s sacolas de plstico comuns, alguns supermercados vo oferecer sacolas de plstico biodegradveis, chamadas tambm de compostveis. Nas gndolas, ser possvel encontrar outros tipo de sacos plsticos, como o oxibiodegradvel e o chamado plstico verde. Afinal, qual a diferena entre esses tipos de plsticos alternativos? Veja a seguir as caractersticas deles: PLSTICO VERDE J existem sacos e embalagens de produtos disponveis no mercado como o chamado plstico verde, fabricado pela Braskem. Esse plstico feito a partir da cana-de-acar, que uma matria-prima renovvel, ao contrrio do petrleo, o que uma vantagem. Porm, ele no biodegradvel, isto , no se decompe. Assim como o plstico comum feito a partir do petrleo, o plstico verde vai continuar a causar problemas nas cidades e na natureza como o entupimento de bueiros e a morte de animais que consomem fragmentos de plstico. Alm disso, o plstico verde mais caro que o comum. PLSTICO OXIBIODEGRADVEL Esse tipo de plstico, j oferecido no mercado brasileiro, contm na sua formulao um aditivo acelerador do seu processo de degradao. De acordo com os fabricantes, ele se decompe de 18 a 24 meses. Porm, no h consenso na comunidade cientfica de que isso ocorra. Alm disso, o plstico oxibiodegradvel no pode passar pela reciclagem mecnica, o mtodo mais comum no Brasil. Assim como o plstico verde e o biodegradvel, mais caro que o plstico comum. PLSTICO BIODEGRADVEL (COMPOSTVEL) Muitos supermermercados esto vendendo nos caixas as sacolas plsticas biodegradveis, feitas a partir do milho. Segundo os fabricantes, a decomposio leva cerca de seis meses. Para que isso acontea, entretanto, preciso que o material seja encaminhado para usinas de compostagem, que no so comuns no Brasil, que utiliza principalmente aterros sanitrios. "O ambiente dos aterros sanitrios anaerbio, no tem caracterstica de biodegradao para este tipo de saacola", diz a professora Egl Novaes Teixiera, da Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Campinas (Unicamp), especialista em resduos slidos. O preo do plstico biodegradvel tambm mais alto que o do plstico comum. CONCLUSO Para o consumidor brasileiro consciente, atualmente, s resta uma opo: diminuir o consumo de sacos plsticos, seja ele comum, verde, oxibiodegradvel ou biodegradvel. Qualquer que seja o plstico utilizado, haver prejuzos ao meio ambiente e s cidades. Portanto, faa um uso racional dos sacos plsticos e destine reciclagem aqueles que no for usar. Fontes: Egl Novaes Teixeira, da Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Campinas (Unicamp), especialista em resduos slidos, Gisele Barbin, diretora comercial da Extrusa-Pack, fabricante de plsticos, Marco Aurlio de Paoli, Instituto de Qumica da Unicamp, Sandro Donnini Mancini, professor de engenharia ambiental da Unesp (Universidade Estadual Paulista)