• Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: Empresas usam resduos agrcolas para produzir PET
País: Brasil
Fonte: Estado
Data: 5/2013
Enviado por: Rodrigo Imbelloni
URL: http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,empresas-usam-residuos-agricolas-para-produzir-pet,699160,0.htm
Curiosidade (texto):
A Pepsico anunciou recentemente ter conseguido produzir uma garrafa apenas com resduos agrcolas, como cascas de pinheiro, laranja e batata. Em 2012, a empresa colocar a embalagem experimentalmente no mercado, num projeto-piloto. Depois, a ideia expandir o seu uso. Desde o ano passado, a Coca-Cola produz a "plant bottle" (garrafa vegetal, em traduo livre) - embalagem feita com at 30% de cana-de-acar. Nos dois casos, a boa notcia a substituio de uma fonte no renovvel - o petrleo - por outra renovvel na produo do PET (sigla para politereftalato de etileno). A demanda por PET s cresce no Pas. De 1994 at 2010, o aumento chegou a 525% - no ltimo ano foram produzidas 500 mil toneladas. Mas as iniciativas ainda so controversas. At mesmo o presidente da Associao Brasileira da Indstria do PET (Abipet), Auri Maron, tem dvidas. Ele louva a iniciativa das empresas em pesquisar matrias-primas mais sustentveis, mas faz ressalvas. Diz no conhecer "o pulo do gato" que permitiu Pepsico fazer uma garrafa apenas com resduos agrcolas. "Tentei inmeros caminhos e no consegui descobrir a rota. Os cientistas do setor de PET desconhecem a rota qumica ou a patente que tenha sido adotada e dizem que isso um desafio extraordinariamente difcil", afirmou Maron. Para ele, preciso ter cuidado ao falar de um produto "que ainda no est na mo". "Respeito, porque empresa de renome, mas gostaria de entender melhor como fizeram." O Estado solicitou entrevista Pepsico, mas ela no foi concedida. Dificuldades tcnicas. O plstico PET produzido a partir da reao qumica de dois componentes: MEG (monoetileno glicol), responsvel por cerca de 30% de seu peso, e o PTA (cido politereftlico), responsvel pelos 70% restantes. Segundo a Coca-Cola, "atualmente, podemos produzir em escala industrial o MEG a partir de origem vegetal". A empresa diz, porm, que trabalha "para desenvolver o outro componente, o PTA, tambm a partir de fonte vegetal renovvel". Mas no h previso de quando o objetivo ser alcanado. Maron mostra uma incongruncia no caso da Coca-Cola. Ele explica que o resduo da cana mandado do Brasil para a ndia, onde est parte da matria-prima, para produzir o MEG. A resina PET fabricada no pas asitico e depois volta para o Brasil para embalar o refrigerante. "Se for levar em considerao essa equao logstica, provavelmente no h um equilbrio ambiental, no vivel em termos de meio ambiente. Porque vai transportar o lquido l para a sia, olha a emisso que se tem de combustvel de navio", avalia o presidente da Abipet. Mas ele tambm afirma que, no futuro, esse conceito pode trazer bons resultados. Distribuio. A plant bottle da Coca ainda hoje comercializada no Rio de Janeiro, em So Paulo, em Belo Horizonte, em Curitiba, no Recife e em Porto Alegre. O processo usado para produzir embalagens de 500 ml e 600 ml - mas ainda no atingiu o total fabricado dessas garrafas. A empresa no informou, porm, quanto do total produzido hoje de plant bottle. Segundo a assessoria de imprensa da Coca, a meta da empresa " que, at 2014, todos os seus produtos comercializados em embalagens PET sejam em plant bottle". Crtica AURI MARON/PRESIDENTE DA ABIPET "Eu vejo com bons olhos que empresas bem conceituadas no mercado estejam dedicando energia e pesquisando esse novo caminho. Mas preciso ter cuidado para fazer propaganda de uma coisa que ainda no est na mo." CRONOLOGIA 1941 Inveno A primeira amostra da resina foi desenvolvida pelos ingleses Whinfield e Dickson. O polister se apresentou como um substituto para o algodo e passou a ser usado na indstria txtil. 1962 Pneus O material foi til no perodo ps-guerra, quando os campos agrcolas estavam destrudos. Na dcada de 1960, o polister passou a ser usado na indstria de pneus, comprovando sua resistncia mecnica. 1970 Embalagens No incio da dcada de 1970, surgiram as primeiras embalagens de PET nos Estados Unidos. Logo depois, elas apareceram tambm no continente europeu. 1988 Brasil O PET chegou ao Brasil somente em 1988. Aqui, o material seguiu uma trajetria semelhante do resto do mundo, sendo utilizado primeiramente na indstria txtil. 1993 Refrigerantes Apenas a partir de 1993 o PET passou a ter forte expresso no mercado de embalagens, principalmente para os refrigerantes. Hoje, embala tambm gua mineral, leo de cozinha, sucos e outros.