• Patrocinado por:

  • Busca

    Palavra Chave:

    Data:





Curiosidades


Assunto: Moradores dos depsitos de lixo do Cairo: um modelo toxicolgico in vivo?
País: Egito
Fonte: Instituto de Higiene da Universidade Karl-Franzens em Graz, ustria.
Data: 4/2001
Curiosidade (texto):
Marth E, Sixl W, Bencko V, Medwed M, Lapajne S, Voncina E, Brumen S Nas redondezas da cidade do Cairo, h aproximadamente 40.000 pessoas vivendo nos depsitos de lixo. Essas pessoas formam um grupo fechado que tm os mesmos problemas socioeconmicos. Os poluentes so distribudos de forma igual para todos. Aproximadamente 30 por cento do lixo na rea poluda, o qual no pode ser reciclado, queimado, ocasionando altas taxas de poluentes no meio ambiente. As concentraes de metais pesados, dioxinas/furanos, PCB e PAH em depsitos de p e no solo foram medidas, assim como as concentraes dos poluentes do ar como o SO2, HCl e o CO. Mostrou-se que, enquanto o sistema imunolgico sistmico afetado apenas em pequenas propores, a imunoglobulina A secretria fortemente afetada pelas emisses desses poluentes. Isso pde ser demonstrado tambm atravs da maior propenso s doenas alrgicas respiratrias, atravs do teste de membranas mucosas hiperreativas. Em regies poludas, 58% das crianas examinadas estavam afetadas, ao passo que em reas de controle apenas 22% mostraram membranas mucosas hiperreativas. Da mesma forma, a concentrao srica de cido N-acetil-N-neuramnico (NANA), usado como um marcador inespecfico de irritao celular, estava alta no soro das crianas da rea poluda. A maioria dos poluentes detectados podem tambm ser observados nas regies industrializadas, especialmente quando combinadas s instalaes de incinerao